Ai ai… as coisas que jamais escreverei

Desde o Natal eu não posto nada aqui… Mas tanta coisa aconteceu em minha vida desde o Natal, que talvez vivê-las fosse mais importante do que escrever e/ou refletir sobre… Muitas vezes me senti ‘metamorfose ambulante’, mas não tanto em tão pouco tempo! Em algum lugar se disse que “se depois das tempestades sempre vêm tais calmarias, que soprem os ventos até acordar a morte!” e, apesar de agora nem lembrar quem foi que escreveu isso [ah, eu acho que foi Shakespeare em Otelo], nunca conheci uma frase mais reconfortante que esta. Não é bom viver a tempestade à espera da calmaria? Sim, talvez… Aliás, talvez não! E, aos desabrigados do Rio de Janeiro essas calmarias não seriam falsamente confundidas com o silêncio profundo das ausências? Não, eu não quero a calmaria das ausências! Essa, senhores, eu não quero!

Mas quem sabe não estejamos errados em evitar as tempestades?  Minha irmã diz que, especificamente a mim, não há ditado mais coerente do que aquele que diz “aqui se faz, aqui se paga!” porque eu SEMPRE pago pelos meus atos. Mas sabe o que eu penso sobre isso? “Eis aqui uma Mulher que viveu todas as tempestades que cruzaram seu caminho”. Sim, vivi TODAS! Não como uma rocha que sobrevive firme, intacta. Muito pelo contrário, ao fim de cada tempestade lá me vi completamente devastada! Mas oras, não estou eu aqui, afinal, escrevendo sobre as coisas que jamais escreverei?

Então… Eu acho que estão vindo tais calmarias… Só espero que não sejam de ausências…

Anúncios

7 comentários em “Ai ai… as coisas que jamais escreverei

  1. Já estava estranhando, achando que a “boneca pensante” estava na estante…rs
    Que bom que apareceu! Beijos!

  2. Michele disse:

    A calmaria está por vim!!!!!
    bjs

  3. Sarah disse:

    Amiga querida,

    Estes períodos de pré-viagem são desvastadores e tomados por tempestades que nos maltratam bastante. Foi assim comigo nos dias que antecederam minha vinda para Strasbourg. Vivi fortes turbulências emocionais e me pegava pensando: Mas, Sarah, toda esta agonia está retirando a beleza do momento, e eu mesma me dizia: viva, Sarah, tudo ao mesmo tempo, agora, e com muita intensidade, a vida não dá trégua. Ser uma mulher que se deixa ser atravessada por todas as tempestades que chegam é grandioso. Sejamos!

    Beijocas,
    Sarinha

  4. Lucas Reagan disse:

    Ola Tassinha, vc esta bem sumida, mas td bem… Viva cada momento tentando tirar proveito das calmarias e tempestades, pois a vida tem muito a ensinar, e não acredito que vc esteja pagando por nada… Imagine que existem pessoas que ja nascem sofrendo, e isso não seria justo… Entre tanto, existem outros que desfrutam das mais perversas maldades e deslealdades e nem por isso pagam… Fica ai a dica! Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s